O governador Heder Barbalho determinou a criação de um força-tarefa para monitorar o litoral do Pará com objetivo de evitar que as manchas de petróleo, que já atingiram todos os estados do Nordeste, cheguem à costa paraense e provoquem danos ao meio ambiente.

Embora não existam sinais de que o óleo possa atingir o Pará, essa possibilidade não está descartada. Por isso, a iniciativa do Governo do Estado tem o apoio do deputado federal José Priante (MDB-PA). “A melhor ação é a preventiva para afastar a ameaça de poluição da orla marítima paraense, preservar o nosso litoral e dar maior segurança à população que vive nessas áreas”, ressaltou Priante.

A força-tarefa é formada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Corpo de Bombeiros e Defesa Civil. Essas instituições vão dar apoio às ações que venham a ser adotadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) no combate a uma eventual poluição da costa paraense.

O trabalho de monitoramento será feito também em parceira com as Secretarias de Meio Ambiente dos municípios da orla marítima paraense, principalmente com aqueles que apresentam maior risco de serem atingidos pelas manchas de óleo. “A intenção é ir aos municípios que seriam os primeiros atingidos”, adiantou Iolene Azevedo, do setor de Gerenciamento Costeiro da Semas.

As ações da força-tarefa começaram segunda-feira (21) pelos municípios de Viseu e Augusto Corrêa, que estão mais próximos do litoral do Maranhão, que já foi atingido pelas manchas de óleo. As vistorias técnicas serão realizadas depois em outras cidades litorâneas.

Os moradores também podem ajudar, avisando aos órgãos ambientais do estado ou às prefeituras caso avistem manchas de óleo no mar ou mesmo nas praias.

Cadastre-se  aqui

Gostou deste conteúdo? Faça um comentário!

avatar
Fechar Menu